Encontro da Rede de Centros de Inovação fortalece modelo catarinense de desenvolvimento

Enquanto diversas cidades Brasil afora buscam desenvolver seus ecossistemas de inovação e tecnologia, Santa Catarina vem consolidando um modelo próprio com base na conexão entre os diversos polos regionais e centros de inovação, por meio da troca de experiências e realização de parcerias conjuntas. Esta foi a percepção de empreendedores, profissionais, investidores e representantes do setor público e da academia que participaram do terceiro Encontro da Rede de Centros de Inovação, realizado em Joinville no dia 01/10, no Ágora Tech Park.

O evento reuniu todos os representantes de centros de Inovação do estado – já em operação ou que contam com um comitê de implantação – e foi uma oportunidade para apresentação conjunta de projetos, demandas regionais, conexões e novas parcerias. Como o acordo de cooperação entre o Ágora e o recém-inaugurado Pollen Parque Científico e Tecnológico, de Chapecó, que pretende fomentar uma rede de mentores e apoio a projetos e startups do Oeste e Norte do estado.

Sede do encontro, o Ágora Tech Park mostrou como, em pouco mais de dois anos e meio, se tornou um ponto de referência para desenvolver o ecossistema de tecnologia de Joinville (startups, incubadoras, entidades e associações, prestadores de serviços especializados) e gerar novos projetos: de um cluster de inovação para saúde, diversos projetos de inovação aberta e um ambiente de testes para tecnologias voltadas a cidades inteligentes, como destacou o diretor de Novos Negócios, Jean Vogel, na abertura do encontro. “Nosso objetivo é organizar iniciativas e desenvolver projetos junto a atores regionais, nacionais e internacionais. O Ágora não visa desenvolver projetos por ele mesmo”, explica o diretor.

Investimento privado do Grupo Perini, o Ágora tem uma estrutura de 14 mil metros quadrados, três prédios e uma perspectiva de construção de outros seis nos próximos oito anos. Desde sua inauguração, em março de 2019, atraiu players como Sebrae, Fiesc e Acate, que desenvolvem projetos e apoiam iniciativas empreendedoras (como FabLab e LinkLab), além de startups como a Transfeera (destaque de 2020 segundo a Associação Brasileira de Startups) e a primeira incubadora (Softville Ágora) da rede MIDITEC em Santa Catarina – hoje são cinco usando a metodologia no estado.

O modelo catarinense, considerado único no país, atraiu a atenção de empreendedores do Espirito Santo, que levou uma comitiva com 30 pessoas para conhecer na prática os projetos, os atores do ecossistema e os resultados dessa conexão entre os Centros de Inovação. “Temos muito o que desenvolver no estado em termos de inovação e novos negócios. Santa Catarina tem sido uma referência para nós, pois temos algumas características em comum”, ressalta Francisco Carvalho, presidente da Base 27, hub de inovação capixaba.

 

O QUE O “STARTUP STATE” AINDA PRECISA DESENVOLVER

Na visão de Iomani Engelmann, presidente da ACATE, Santa Catarina pode medir seu desenvolvimento “se inspirando e competindo com Israel”, a “Startup Nation”, ao fortalecer este modelo de “startup state”. “Somente nos primeiros meses de 2021 tivemos R$ 5 bilhões investidos em empresas de tecnologia de Santa Catarina, seja como venture capital, aquisições e IPOs. No estado temos 30 fundos de capital de risco em operação, mais de 100 investidores anjo. Mas há duas engrenagens ainda não adequadas: estrutura de capital e formação de mão de obra especializada. Esta é também uma oportunidade para os municípios também, ao gerar equidade social por meio de empregos de alta qualificação e remuneração”, define.

Em Criciúma, um projeto social desenvolvido pelo Centro de Inovação CISA Abadeus pode se tornar uma referência para outros polos regionais de tecnologia no estado. Por meio de cursos profissionalizantes, 250 jovens carentes já foram capacitados em robótica desde a inauguração do Centro, em março deste ano, e a expectativa é dobrar esta capacidade até o final do ano. “Nossa especialização é trabalhar as vulnerabilidades sociais. Como tornar a inovação possível a estas comunidades?”, comenta Shirlei Monteiro, diretora executiva do CISA Abadeus, cujos alunos já criaram dois projetos de aplicativos que estão pré-incubados e outros 4 projetos foram aprovados no programa NaSCer, da Fapesc.

“A Rede de Centros de Inovação é um movimento de política de estado, mas não daria certo sem a governança das entidades. Estamos em um processo de amadurecimento, com muitos desafios, divergências e aprendizados, mas em expansão. Fizemos 42 chamadas públicas (editais) para liberação de recursos neste ano, que somam mais de R$ 100 milhões. É a hora dos centros estruturarem suas governanças para inscreverem projetos e se desenvolverem”, resume Fabio Zabot Holthausen, presidente da Fapesc.

Durante o encontro, os participantes fizeram visitas guiadas pela estrutura do Ágora Tech Park e acompanharam eventos paralelos, com debates sobre tecnologias e desafios para smart cities, cases de conexão entre startups e grandes corporações e inovações para indústria 4.0.

“O modelo dos centros de inovação está consolidado em Santa Catarina – e é inédito no país. Nossa prioridade a partir de 2022 é fortalecer este trabalho em rede no estado”, antecipou Iuana Reus, gerente de Ciência, Tecnologia e Inovação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do governo de Santa Catarina.

Joinville sedia 3º Encontro da Rede Catarinense de Centros de Inovação

Os gestores da Rede Catarinense de Centros de Inovação estarão reunidos em Joinville, no dia 1º de outubro, para participar do terceiro encontro da rede, que atualmente é formada por 15 centros de inovação, localizado em diferentes cidades e regiões de Santa Catarina.

 

O evento será realizado no Ágora Tech Park, que integra a rede e está localizado no Perini Business Park. “Será um momento único para explorar o ecossistema de Joinville, identificar as potencialidades do Ágora e compartilhar os desafios e aprendizados, para que possamos avançar de forma ágil e segura no processo de consolidação da inovação como em vetor de desenvolvimento econômico e sustentável do nosso estado”, destaca Ricardo Scaratti Fantinelli, coordenador de Inovação do Ágora.

 

Os centros de inovação são ambientes criados para promover e dar suporte ao empreendedorismo inovador, ajudando a criar e expandir negócios inovadores. Eles oferecem serviços que apoiam o empreendedor desde o momento em que o negócio é apenas uma ideia até o momento em que ele está pronto para encarar o mercado, crescer e escalar. Os Centros também buscam estimular a inserção da cultura de inovação nas empresas da sua região e conectar startups e empreendedores com empresas consolidadas e outros atores importantes.

 

A programação do encontro inicia às 8h e contempla momentos de trocas interpessoais – terreno fértil para criação de novas conexões e oportunidades para que ideias, parcerias e negócios possam florescer; e a apresentação dos atores do ecossistema e dos projetos estruturantes do Ágora. A abertura terá participação de Luciano José Buligon, Secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Fabio Zabot Holthausen, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina – Fapesc, representantes da Associação Catarinense de Tecnologia – Acate e de entidades de classe das áreas de inovação e tecnologia.

 

Durante a tarde serão realizadas rodas de conversa simultâneas, com quatro temas: Tríplice Hélice, Incubação/Startups, Smart Cities/Eficiência Urbana e Oficina de Editais. “Nossa expectativa é que o encontro permita que os gestores, além de trocarem informações sobre as práticas adotadas, identifiquem oportunidades de ações práticas que integrem ainda mais as ações entre centros; e também fortalecer o Ágora como ponto de encontro e catalizador de pessoas, ideias, negócios e projetos de inovação da nossa região”, ressalta Ricardo. O encontro encerra às 17h.

 

Estrutura de serviços e localização

Os Centros de Inovação dispõem de serviços como pré-incubação de empresas, incubação, aceleração, coworking, espaço maker, espaço para eventos e capacitações, espaço para P&D, marketplace, One Stop Shop, conexão com instituições financeiras e investidores e assim por diante.

Cidades com Centros de Inovação em operação: Blumenau, Caçador, Chapecó, Florianópolis, Jaraguá do Sul, Joaçaba, Joinville, Lages e Videira. Em implantação: Brusque, Criciúma, Itajaí, São Bento do Sul e Tubarão.

 

Informações sobre o evento:

http://centrosdeinovacao.sc.gov.br

Ágora Tech Park ganha troféu ArcelorMittal de Inovação Digital

O Ágora Tech Park ganhou o troféu iNO.VC ArcelorMittal de Inovação Digital, na categoria Ambiente de Inovação de Santa Catarina, concedido pela ArcelorMittal Brasil nesta quinta-feira (08/04) em cerimônia ao vivo transmitida no Youtube.

“Espero que possamos seguir sendo esse ambiente de inovação e inspiração à Arcelor e todos nossos parceiros conectados a nós, fisica e/ou conceitualmente. Tudo isso nos dá ainda mais motivação para seguirmos conectando para inovar”, comenta Jean Vogel, diretor executivo do Ágora Tech Park.

Além do Ágora, outras oito instituições foram premiadas de Santa Catarina: Universidade Federal de Santa Catarina, CLAMED Farmácias, TERMICA Solutions, ENGIE Brasil, Startup Mundi, LifesHub, SENAI/SC e ACATE. 🤩🎉

Seguimos cada dia mais motivados na missão de conectar para inovar!

Incubadora Softville Ágora anuncia as 15 startups selecionadas para a primeira turma

Neste domingo (28 de março), dia em que o Ágora Tech Park completou dois anos de atividade em Joinville, foram anunciadas as 15 startups selecionadas para a primeira turma da incubadora Softville Ágora, unidade da Softville que conta com metodologia da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) e apoio do Sebrae/SC.

Das 15 startups, sete serão incubadas no modelo híbrido (presencial/virtual) e oito participarão do programa na modalidade virtual. Conheça as selecionadas:

121 SMART SHOP (Joinville)
Mini mercado inteligente com experiência de compra 100% autônoma, conectando o produtor diretamente ao consumidor final

CLIENTESMILE (Lages)
Startup de pesquisa de clientes

HAUSEFUL (Florianópolis)
Marketplace que seleciona, treina e conecta profissionais com empresas do mercado imobiliário e da construção para realizar serviços sob demanda

HOJE EU CASO (Joinville)
Aplicativo (marketplace) de busca e contratação de evento de casamento

HOLLOX (Joinville)
Visualização de projetos e produtos do modelo 3D em Realidade Aumentada e Realidade Mista, organização e gestão de todos os arquivos 3D

HYD (Joinville)
Empresa voltada a soluções e tecnologia, que utiliza engenharia para redução de perdas na distribuição de água através de sensoriamento e tratamento de dados

INBOARDING (Joinville)
RHTech que automatiza a jornada de todos os colaboradores com uma perspectiva inclusiva iniciando pelo Onboarding e método Think-Pair-Share

INVESTCODE (Joinville)
Plataforma web de viabilidade financeira voltada ao desempenho econômico de incorporadores

KONZTEC (Joinville)
Solução de tecnologia para Indústria 4.0, Internet das Coisas (IoT) e Internet Industrial das Coisas (IIoT)

LEARNI (Joinville)
Plataforma de treinamento digital para equipes de enfermagem em hospitais

MEU REPLAY (Joinville)
Plataforma online com hardware próprio, que fornece sistema automático de replays (captura, edição e disponibilização de lances esportivos) para atletas e centros esportivos

MULTIPLICAME (Joinville)
Rede social privada para comunicação e engajamento de usuários, voltado a associações, coworkings e outras corporações

ORGANA BIOTECH (Joinville)
Solução para resolver problema de destinação final do lixo, retirando do aterro sanitário a parcela orgânica que gera problemas ambientais

RHELLO (Joinville)
Tecnologia para otimização de processos e redução de custos do RH, com cálculo automático da folha de pagamento e da integração com fornecedores

SERENA (Joinville)
Clube de assinatura de saúde que desenvolve jornada personalizada para prevenção e tratamento de doenças, baseada na medicina do estilo de vida

“Desenvolver uma startup dentro de um parque tecnológico, ancorada em uma metodologia vencedora e com a expertise de entidades fortes é um diferencial e uma grande oportunidade para os empreendedores. Este modelo, associativo e com foco em resultados, fortalece Santa Catarina no ambiente de inovação”, opina Jean Vogel, diretor executivo do Ágora Tech Park.

A qualidade e o nível de maturidade das startups impressionaram os responsáveis pela seleção dos projetos. “Tivemos um grande volume de inscritos e um alto nível de soluções e times. Isso reflete a evolução do ecossistema de inovação de Joinville e o interesse de empreendedores em estarem neste ambiente e participarem de um projeto com players tão importantes para o seu desenvolvimento, como Ágora, Acate e Sebrae”, comenta Fabiano Dell’Agnolo, presidente da Softville.

Do total de 47 startups inscritas no processo seletivo, 74% foram das regiões de Joinville e Florianópolis, e 36% de outras regiões. Em termos de maturidade dos negócios, a maioria (78,7%) está nas etapas de Validação e Geração de Demanda, enquanto 21% estão mais avançadas, na etapa de Tração e Escala.

Para Iomani Engelmann, presidente da ACATE, “impulsionar o ecossistema como um todo é um dos nossos objetivos como entidade estadual. E este é um exemplo de como podemos, por meio dos Polos Regionais, ampliar este impacto”. Ele lembra que a metodologia de desenvolvimento do MIDITEC evoluiu muito desde quando a incubadora começou, há 22 anos. “A incubadora é um ativo do ecossistema catarinense e precisa ser disseminada para acelerar ainda mais a criação de empresas vencedoras. Levar essa experiência e impacto para outras regiões do estado era um desejo antigo da ACATE e do Sebrae e, por meio da união do ecossistema, conseguimos atingir esse grande marco”, destaca.

“Joinville é uma cidade naturalmente empreendedora e vem se destacando também pelo seu ecossistema de inovação, que é consolidado e tende a se fortalecer ainda mais nos próximos anos”, comenta o presidente do Sebrae/SC, Carlos Henrique Ramos da Fonseca. “O município concentra importantes iniciativas como a incubadora Softville Ágora, que incentiva o empreendedorismo e alia importantes atores. Acreditamos e apostamos no potencial inovador da cidade”, finaliza.

Ágora Tech Park completa 2 anos e inaugura novos prédios

Expansão: ao completar dois anos, Ágora Tech Park inaugura dois novos prédios e fortalece ecossistema de inovação e tecnologia em Joinville e região

Parque tecnológico conta a partir de agora com datacenter de última geração, além de dezenas de novas operações – entre elas um cluster de inovação e tecnologia para saúde

Quando foi inaugurado, há exatos dois anos, o Ágora Tech Park representou a “materialização” do ecossistema da maior cidade e “capital industrial” de Santa Catarina. No primeiro prédio, o Ágora HUB, se concentram os principais players deste setor: instituições como Acate, Fiesc, Sebrae/SC e Associação Brasileira de Internet Industrial, laboratórios de inovação de grandes empresas, startups, incubadora e coworking. 

No segundo prédio, o Ágora MOB, estarão presentes empresas de tecnologia e de diversos outros segmentos com um objetivo em comum: usufruir do ambiente de inovação e conexão com startups, mentores e investidores para desenvolver projetos de open innovation e inteligência estratégica, além de expansão comercial. É o caso da Schulz (maior fabricante de compressores de ar da América Latina), da startup Transfeera, da multinacional de engenharia Buhler e da desenvolvedora de ERPs Sanhkya, entre outras. 

“O Ágora veio para ser um conector do ecossistema de inovação e tecnologia em Joinville, envolvendo a iniciativa privada, a academia e o poder público. Com isso, o potencial de desenvolvimento local se multiplica – o que torna o ambiente atrativo tanto para empresas quanto para profissionais, estudantes e investidores”, explica Marcelo Hack, CEO do Perini Business Park, parque multissetorial onde o Ágora está instalado, ao lado de outras 240 empresas de 13 países que somam um faturamento anual de mais de R$ 5,2 bilhões/ano. 

Outra novidade na infraestrutura do parque tecnológico é o Ágora DAT, um data center de última geração, com certificação TIER nível III e investimento superior a R$ 20 milhões feito pela Armazém Data Center, empresa de Brusque com mais de 10 anos de atuação e que atende mais de mil clientes no país, entre eles a Ambev e o Ministério Público de Santa Catarina. Trata-se do único datacenter privado, no sul do Brasil, a obter certificação TIER III de design e facility.

Segundo Marcos Stefano, diretor de Desenvolvimento Estratégico na Armazém Data Center, a escolha do Ágora para o investimento se deve “ao potencial de estar associado a um ecossistema de inovação e tecnologia. Esta conexão foi determinante e acredito que será também uma turbina para nosso desenvolvimento”. A empresa cresceu 25% em 2019, acima da média do setor de tecnologia. 

Com os novos empreendimentos, o volume de pessoas trabalhando no parque tecnológico deve dobrar (serão cerca de 600 colaboradores). Um número que deve ser ainda maior no pós-pandemia, comenta o diretor executivo do Ágora, Jean Vogel. “Nos primeiros meses de atividade, antes da Covid, chegamos a ter uma média de um evento por dia no Ágora. O parque se tornou um ponto de encontro do ecossistema e, a partir da expansão, esta tendência será acentuada, especialmente quando os eventos presenciais voltarem”. O masterplan prevê a construção de outros seis prédios ao longo de oito anos.

Mesmo com as limitações da pandemia, o Ágora é também um espaço de formação de novos empreendedores: por meio do programa NaSCer, da Fapesc e Sebrae/SC, e que é operado em Joinville pelo parque tecnológico foram graduadas 17 startups em duas turmas ao longo dos últimos meses. E em abril inicia a primeira turma da incubadora Softville Ágora, referência no desenvolvimento de startups na região e que faz parte de rede estadual com apoio do Sebrae/SC e metodologia da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE).

CLUSTER DE SAÚDE LEVA INOVAÇÃO NO ATENDIMENTO A PACIENTES 

Uma das âncoras do Ágora MOB é uma iniciativa de inovação em saúde liderada por grandes empresas do segmento: o Grupo Opty (maior grupo de oftalmologia da América Latina), o Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem e a varejista Clamed (que detém marcas como Drogarias Catarinense, Farmácia Popular, ProFormula e Farmagora) se uniram no projeto Ágora.Health, que conta com uma smart clinic oftalmológica e vai agregar também uma farmácia-conceito (com utilização de novas tecnologias e serviços de entrega e compra de medicamentos) e espaço para incubação de startups.

Sadalla.Smart é uma clínica oftalmológica que vai utilizar processos automatizados e inteligentes em todo o processo de atendimento aos pacientes com base em plataformas de Internet das Coisas (IoT) e Data Analytics. No ambiente, os usuários terão à disposição equipamentos e sistemas de última geração. “O objetivo é modelar um sistema de atendimento inovador e integrado, com foco na promoção da saúde, prevenção de doenças, maior eficácia no tratamento e maior qualidade de vida ao paciente”, explica o médico oftalmologista Renan Oliveira, diretor de Inovação do Grupo Opty e presidente do Ágora.Health. 

Até o final do primeiro semestre, será inaugurada a farmácia-conceito do Grupo Clamed, um ambiente de testes para inovar no atendimento ao consumidor, que inclui uma célula autônoma (vending machine) para compra de produtos que não precisam passar por farmacêuticos, um totem de autoatendimento e lockers para recebimento das encomendas. Há a possibilidade de testes de entregas via veículos elétricos e drones. “Para nós, o Ágora.Health é como uma provocação para potencializar o efeito de trabalho em rede. Queremos dar um passo a mais no que já se concebe como inovação”, resume Diego Zagonel, fundador do CLIC, laboratório de inovação do Grupo Clamed. 

O Ágora.Health faz parte do programa Perini City Lab, espaço de testes de tecnologias e serviços voltados às smart cities dentro do ambiente controlado e privado do parque industrial. Neste modelo, já foram validadas tecnologias como a plataforma de micromobilidade compartilhada da startup GoMoov, que já oferece em Joinville veículos elétricos para deslocamento e complemento à rede de transporte público.

“O impacto destas inovações e conexões geradas a partir do Ágora vai além da infraestrutura convencional de um parque tecnológico. Mais do que prédios, estamos ajudando a construir a economia digital do futuro, posicionando a região no mapa de inovação e ajudando a formar novos empreendedores”, ressalta Jean Vogel, diretor executivo do Ágora.

Ágora Tech Park em números:

Entidades do ecossistema presentes: 

Infraestrutura e programas de apoio e formação de novos empreendedores:

Ágora Tech Park encerra 2020 com expansão e programas de conexão e apoio ao empreendedorismo

Mesmo em um ano marcado pelo distanciamento social, hub de inovação em Joinville acelerou com obras de novos prédios, que serão inaugurados em março, e iniciativas de desenvolvimento do ecossistema.

Os impactos da pandemia prejudicaram o desenvolvimento de alguns projetos, mas não impediram a expansão do Ágora Tech Park, em Joinville, que anunciou ao longo de 2020 uma série de  novas iniciativas, projetos e a ampliação da infraestrutura.

Entre as novidades da expansão do parque tecnológico, está a construção do segundo prédio, o Ágora MOB, que terá uma área disponível de 4,8 mil m2 e espaços flexíveis na oferta de salas (a partir de 50m2 até um andar inteiro, 1,2 mil m2). O MOB será inaugurado em 18 março e terá também uma via gastronômica e a expectativa é receber entre 30 a 40 novas operações.

Entre elas está o “Ágora.Health”, nome ainda provisório do cluster de saúde que estará integrado ao novo prédio e contará com inovações de várias empresas do setor – como o Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem, uma das âncoras do projeto, que vai inaugurar no espaço uma smart clinic no início de 2021. O grupo Clamed também está confirmado no local, com uma operação de farmácia-laboratório e ponto de venda com entregas por meio de novas tecnologias de mobilidade.

O hub de inovação em saúde vai contar com outras startups, espaços de cocriação e eventos – e faz parte de uma das verticais de negócios do Perini City Lab, um laboratório de desenvolvimento e testes de tecnologia para cidades inteligentes, que vai oferecer também serviços (“One Stop Shop”) às mais de 10 mil pessoas que circulam diariamente no Perini Business Park. Outra frente do City Lab é a área de mobilidade: a startup GoMoov iniciou em setembro um projeto piloto de aluguel de veículos elétricos (scooters, bicicletas e patinetes) para circulação no parque industrial.

NOVOS PRÉDIOS E PROJETOS

Em 25 de março de 2021, três dias antes do parque completar dois anos de fundação, será inaugurado o terceiro prédio do complexo. O Ágora DAT será dedicado a um data center de última geração, com certificação TIER nível III, em parceria com a Armazém Data Center, empresa de Brusque com mais de 10 anos de atuação e que atende mais de mil clientes no país. O investimento é de R$ 20 milhões e este será o segundo datacenter em Santa Catarina com esta certificação e o quinto na região Sul do país.

“Mesmo com todas as dificuldades impostas pelo atual cenário, conseguimos avançar não apenas em projetos de expansão física, como os novos prédios, mas também agregamos outros programas e conceitos ao portfólio de ativos do parque“, diz Jean Vogel, diretor executivo do Ágora.

Como o Ágora.Start, voltado para o incentivo ao empreendedorismo, a conexão com estudantes e a pré-incubação de projetos, além do programa NaSCer, uma pré-incubadora presente em 15 cidades catarinenses realizado pela Fapesc com apoio do Sebrae/SC – em Joinville a gestão é do Ágora Tech Park. A primeira turma de empreendedores do NaSCer na cidade foi formada ao longo de 2020 e a segunda iniciou em outubro, com um pioneiro time de mentoras 100% feminino.

No dia da Inovação (19.10), o parque lançou sua campanha de posicionamento no ecossistema de tecnologia catarinense, que tem como premissa o propósito de “conectar para inovar”.

Em 2020, o Ágora também passou a gerenciar o espaço de coworking do Centro de Inovação, rebatizado como Ágora.Share, que dispõe de 70 posições (espaços individuais) em espaços compartilhados e oito salas individuais. Alternativa para empreendedores individuais ou empresas de menor porte que ainda não tem estrutura para locação de um espaço maior, o Ágora.Share se beneficia da fácil conexão com o Hub de Inovação e a série de iniciativas em operação no local. Além dos espaços de trabalho compartilhados, há também os espaços disponíveis para locação para realização de eventos, como o auditório com 240 lugares, salas de treinamentos, salas de reuniões e os espaços abertos do Ágora.

“Antes mesmo de completar dois anos de operação teremos um complexo com três prédios e programas rodando tanto para empresas quanto para empreendedores interessados nessa conexão com um ambiente de inovação, incentivo ao empreendedorismo e desenvolvimento de tecnologias. E vem muito mais por aí”, resume o diretor executivo.

 

Redação SC Inova.

Entrega das chaves do Ágora DAT ao Armazém Data Center

Hoje entregamos as chaves do Ágora DAT, nosso terceiro prédio, que vai abrigar o Armazém Data Center com certificação nível TIER III, uma das mais reconhecidas no mercado mundial para dados.

Damos boas-vindas ao nosso mais novo parceiro de negócios, conexão que vai agregar o nosso ecossistema de inovação. Em março teremos a inauguração oficial do Ágora DAT, com a comemoração merecida! 👊🚀

Programa NaSCer em Joinville inicia segunda turma com time de mentoras formado só por mulheres

Iniciativa pioneira surgiu no Ágora Tech Park e traz novos olhares e maior visibilidade às mulheres no fomento ao empreendedorismo no estado.

Um time de 10 mulheres, empreendedoras e executivas com atuação nacional e envolvidas com o ecossistema de inovação em Santa Catarina, forma a primeira equipe exclusivamente feminina de mentoras em um programa de incubação no estado. Esta iniciativa pioneira surgiu em Joinville, na segunda turma do programa NaSCer, uma pré-incubadora de projetos inovadores com presença em 15 cidades catarinenses realizado pela Fapesc com apoio do Sebrae/SC e metodologia do CoCreation Lab.

As atividades começaram no último dia 15 de outubro, e neste início de dezembro ocorreu a apresentação do programa ao time de mentoras e aos 10 projetos selecionados para a segunda turma, que tem gestão local feita pelo Ágora Tech Park, sob o projeto Ágora.Start, que tem por objetivo difundir a cultura da inovação e empreendedorismo em Santa Catarina.

“Esta iniciativa fomenta não só o empreendedorismo feminino mas o empoderamento, e gera um estímulo em cadeia. Isso é a chave para a construção de sociedades progressistas, no sentido que é preciso se organizar para progredir”, afirma Vanessa Guimarães, uma das mentoras do NaSCer em Joinville. Ela é fundadora do Elas Projetam, um hub de aprendizagem compartilhada e colaborativa para promover, desenvolver e preparar mulheres para o mercado de Gerenciamento de Projetos.

Para a mentora Vanessa Guimarães, “iniciativas como essa geram um estímulo em cadeia: do empreendedorismo feminino ao empoderamento”.

Além dela, fazem parte da equipe de mentoras Ana Lúcia Alves (Perini Business Park), Betina Zanetti Ramos (Nanovetores Group), Daniella Abreu,  (Secretaria Executiva de Assuntos Internacionais de Santa Catarina), Lilian Amaral (ANPEI), Lygia Veny Casas (Deskfy), Maria Regina Runze (WeShine Consulting), Sayonara Moreira (Tupy), Silvana Pampu (Groupe Renault) e Tatiana Montero (Nidec Global Appliance). Este grupo foi apresentado publicamente pelo Ágora em 19 de novembro, Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino, data criada pela ONU com o objetivo de apoiar e incentivar a entrada de mulheres no mundo dos negócios.

PRESENÇA FEMININA: GAP SOCIAL NO MERCADO

“As mulheres são pouco encorajadas desde crianças a se expressar ou ter coragem de alçar grandes voos. Prova disso é o percentual de mulheres que se formam na faculdade (50%), reduzindo para menos de um terço em cargos de liderança. Isso sem falar na desigualdade salarial, pois as mulheres recebem o equivalente a 79,5% do salário dos homens, segundo o IBGE”, reforça Maria Regina Runze, mentora do programa e fundadora da WeShine Consulting, consultoria de comunicação e criatividade para o mercado corporativo.

“É um gap social em que precisamos atuar fortemente, trazendo para o universo das startups. Quem perde sem o repertório, a sensibilidade e o potencial criativo das mulheres são as empresas e o mundo como um todo”.

Elas irão mentorar dez equipes nesta segunda turma: 3AXIS FLIGHT, Better Agenciamento Desportivo, SmartIy – Plataforma de Sensoriamento e Gerenciamento de Dados, Garimpa, Inboarding, IGOn, Health Aid – Minha Consulta, Plataforma Cria Junto, Bein Soluções de Impacto Social e Completude Yoga. Metade delas tem uma mulher entre as responsáveis.

A mentora Maria Regina Runze: “quem perde sem o repertório, a sensibilidade e o potencial criativo das mulheres são as empresas e o mundo como um todo”

Segundo Gabriel Cabral, analista de Inovação do Ágora Tech Park, a ideia é levar a mesma predominância de mulheres como palestrantes e facilitadoras dos workshops do programa de pré-aceleração em Joinville. “É preciso demonstrar a importância disso dando o primeiro passo. Há quem pense que é difícil encontrar um time grande de empreendedoras e executivas para compor essa rede, mas estamos mostrando o contrário, pois montamos uma equipe muito qualificada, com grande representatividade na economia e na tecnologia local e do país”.

Como conclui Vanessa, “no papel de mentoras somos referência para novos empreendedores, apresentamos nossas experiências a futuras startups. Eu mesma já tive que rodar 18 MVPs (protótipos) do meu negócio. Mentoria é uma posição estratégica, é ali que as mulheres devem estar, não limitadas a um painel de “liderança feminina”, o que restringe nossa atuação”.

Ágora Tech Park apoia Projeto Anjos do Natal do Hospital Infantil

A nossa árvore de Natal está sem bolinhas! Isso porque a gente resolveu somar esforços com as nossas conexões e fazer uma decoração diferente…

Milhares de crianças contam com o incrível trabalho do Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria de Joinville e – em parceria com o Perini Business Park- estamos apoiando o Projeto Anjos do Natal.

A cada doação conectada ao Ágora, uma bolinha com a sua marca ou nome é colocada na árvore do Hospital e outra aqui na nossa árvore! 

Quem vem? ✨🎄🎅

As doações podem ser feitas por pessoas físicas e jurídicas, diretamente para o Hospital Infantil pelo número (47) 99614-9647 (para entrar em contato basta clicar aqui).

Conheça os vencedores do pitch final da 1ª edição do Programa NaSCer

Ágora Tech Park em Joinville foi quem mais emplacou equipes para o pitch final do Programa NaSCer, que tem abrangência estadual

A turma do Programa NaSCer, pré-incubadora de projetos inovadores, do Ágora Tech Park foi a que mais emplacou projetos no “pitch final” do primeiro ciclo. As equipes Pedalise, Organa Biotech e Hollux foram as 3 vencedoras da apresentação final do programa, que teve a primeira edição neste ano.

Iniciativa desenvolvida em parceria entre FAPESC, Sebrae e Cocreation Lab, o NaSCer é realizado em 15 Centros de Inovação de Santa Catarina – em Joinville, a operação é feita aqui pelo Ágora, dentro do programa para difundir a cultura de inovação e empreendedorismo em Santa Catarina: Ágora.Start.

Mesmo com todos os desafios da pandemia e das ações online, o programa foi um sucesso neste primeiro ciclo. Ao todo, foram 10 pré-incubados no Ágora.Start, que também disponibilizou  uma rede mentores com profissionais renomados do ecossistema de tecnologia, inovação e negócios. As equipes que participaram do programa no Ágora foram a 6pm, Coliga, Hollox, Makers Network, Naficure, Omnibus, Organa Biotech, Panora, Pedalise e SOMA3 Eng.

Já foi dado início ao segundo ciclo do Programa NaSCer, com 10 novas equipes que em breve nós apresentaremos por aqui com a nova turma de mentores do Ágora.Start. Nos acompanhe para maiores informações.